Atendimento
Faculdades FIO
Atendimento
Atendimento
BOLSAS & CONVÊNIOS


FIES - FINANCIAMENTO ESTUDANTIL

O Programa de Financiamento Estudantil - FIES é destinado a financiar, prioritariamente, a graduação no Ensino Superior de estudantes que não têm condições de arcar com os custos de sua formação e estejam regularmente matriculados em instituições não gratuitas, cadastradas no Programa e com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo MEC.

Após o atendimento prioritário aos cursos de graduação, havendo disponibilidade de recursos e autorização do Agente Operador do Programa, o FNDE , o FIES poderá financiar também cursos de mestrado e doutorado e cursos técnicos de nível médio.

Criado em 1999 para substituir Programa de Crédito Educativo – PCE/CREDUC, o FIES já beneficiou mais de 560 mil estudantes, com uma aplicação de recursos da ordem de R$ 6,0 bilhões entre contratações e renovações semestrais dos financiamentos.

A partir de 2005, o FIES passou a conceder financiamento também aos bolsistas parciais, beneficiados com bolsa de 50%, do
PROUNI – Programa Universidade para Todos. Apenas para este público já foram realizadas mais de 9,2 mil contratações.

O FIES é um dos programas do Governo que apresenta o maior padrão tecnológico. Praticamente todas as operações do processo, iniciando-se pela adesão das instituições de ensino, passando pela inscrição dos estudantes e divulgação dos resultados e entrevistas são realizadas pela Internet.

Esta modernidade representa comodidade e facilidade para todos os seus participantes. Isso além de garantir a confiabilidade e transparência a todo o processo, o que vai ao encontro da missão da CAIXA de dar maior efetividade às políticas públicas do Governo Federal.

Os critérios de seleção, impessoais e objetivos, têm como premissa atender à população com efetividade, destinando e distribuindo os recursos de forma justa e igualitária, garantindo a prioridade no atendimento aos estudantes de situação econômica menos privilegiada.

Esta iniciativa do Governo Brasileiro é mais um passo importante para a democratização do acesso à educação de qualidade, a fim de propiciar ao maior número possível de estudantes a permanência e a conclusão do ensino superior, contribuindo na formação dos líderes que conduzirão o futuro deste país.

Se você obteve uma avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e deseja se matricular em nossa Faculdade, você pode estudar e financiar esse investimento pelo FIES.

Saiba que a taxa de juros do FIES é de apenas 3,4% ao ano para todos os cursos, com possibilidade de até 100% do valor financiado e você pode solicitar o financiamento em qualquer período do ano.

O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior.

É importante salientar que o estudante somente poderá solicitar o financiamento para um único curso de graduação em que estiver regularmente matriculado. Não serão considerados regularmente matriculados os estudantes cuja matrícula acadêmica esteja em situação de trancamento geral de disciplinas durante o período de inscrição no FIES.

Para solicitar mais informações procure a Secretaria Geral – Tânia ou acesse o site http://sisfiesportal.mec.gov.br/ para inscrições e outras informações.

 




BOLSA REEMBOLSÁVEL - FIO

 

Objetivo:


Estimular o aumento do fluxo de alunos que, não tendo plenas possibilidades de arcarem com o valor total das mensalidades, possam fazê-lo após estarem formados.

 

Critérios de Aplicabilidade:


- Bolsa exclusiva para Ensino de Graduação.
- O benefício só poderá ser concedido à alunos que não possuam bolsa do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), da Caixa Econômica Federal, ou qualquer outro tipo de desconto/benefício dado pelas FIO/ FEMM.
 
- A concessão ficará sujeita à avaliação técnica das FIO, feita a partir de:

a) análise do formulário de solicitação e da documentação anexada;
b) entrevista com o Aluno, quando for o caso;
- Aluno só poderá ter 1 único acordo em aberto e adimplente, referente a débitos anteriores com a instituição.
- Durante o período de concessão, o aluno terá acompanhamento sistemático do rendimento escolar, devendo comparecer a entrevistas quando convocado, sob pena de cancelamento da bolsa.
- A equipe técnica das FIO poderá solicitar às Coordenações de Cursos informações sobre o desempenho geral do aluno, sempre que necessário para uma avaliação pormenorizada.
- O benefício será concedido a partir da data de assinatura do contrato pelo requerente, respeitadas as regras de períodos mensais anunciadas nas determinações gerais.
- Caberá à FEMM fixar, a cada ano, os valores destinados à concessão de Bolsas Reembolsáveis, tendo como base a previsão orçamentária de cada exercício.
- A devolução dos valores da bolsa reembolsável será exigível a partir do primeiro mês seguinte ao da conclusão do curso, do trancamento da matrícula, da desistência, da transferência ou de qualquer outra modalidade de interrupção do curso. Presume-se desistente o beneficiário que não efetuar a matricula no semestre subseqüente de seu curso, no período imediato ao da última bolsa concedida ou renovada. 
- A devolução da bolsa de estudo reembolsável far-se-á pelo pagamento do mesmo número de mensalidades recebidas pelo beneficiário, aplicando-se os mesmos percentuais obtidos, durante o período da concessão do benefício. O valor da prestação a ser paga, a cargo do beneficiário ou de seu representante legal, será o mesmo do curso em que tenha estudado o beneficiário, vigente à época do pagamento.

 

Benefício: 


Desconto de 30% a 50%.

 

Base de Cálculo: 


Mensalidade integral

 

1ª parcela do período letivo: 


- Não se aplica. 
- Aluno deve efetuar o pagamento pelos critérios gerais.

 

Forma de Obtenção: 


- As bolsas solicitadas através de formulário próprio, disponível no Setor de Bolsa Reembolsável e dentro do prazo estabelecido no calendário escolar, são válidas para o período letivo em que forem concedidas.
- Deverão ser renovadas mensalmente mediante acompanhamento sistemático do desempenho do aluno, da avaliação da situação econômico-social que motivou a concessão e do histórico de adimplência.
- Após a avaliação, as FIO emitirão parecer a ser publicado no site da instituição.
- O início da vigência do período de concessão pressupõe a assinatura de:
a) contrato específico pelo beneficiário junto ao Setor de Bolsa Reembolsável, dentro do prazo estabelecido;
b) termo de fiança de uma pessoa cuja somatória de rendimentos mensais seja igual ou superior a três vezes o valor da parcela do benefício, e que não seja o cônjuge ou aluno das FIO.

Observação: 
- O contrato referido na letra a deverá ser assinado pelo requerente, por um responsável (pai ou mãe, se for menor) e pelo(s) fiador(es) até 15 dias corridos a partir da publicação nos quadros informativos das Secretarias.
- O aluno deverá assinar um novo contrato a cada rematrícula de meio do ano letivo para o semestre seguinte. Haverá necessidade de novo processo quando houver morte, substituição ou mudança de fiador ou alteração no percentual do benefício. 
- Cabe ao aluno bolsista comunicar, de imediato, toda e qualquer alteração do fiador inicialmente indicado, sob pena de incorrer na perda da bolsa.

- O não pagamento de duas ou mais parcelas de mensalidade pelo aluno, durante a vigência do contrato de bolsa reembolsável, levará a suspensão do contrato de bolsa e o valor utilizado no benefício até então, será cobrado na sua totalidade.

- O ex-aluno que, durante o período de restituição do valor do benefício às FIO, deixar de pagar duas ou mais parcelas de bolsa reembolsável, estará descumprindo o contrato anteriormente firmado, o que acarretará na antecipação total do valor devido, devendo então ser pago a sua totalidade em parcela única.

 

Documentos necessários para o contrato de Bolsa Reembolsável:

 

Do aluno:

 

RG;

CPF;

Comprovante de residência atual;

Profissão (se autônomo discriminar a atividade);

Estado Civil (se casado – certidão de casamento, se solteiro – certidão de nascimento);

Comprovante de telefone atual.

Do Fiador:

RG;

CPF;

Comprovante de residência atual;

Comprovante de rendimento dos últimos 3 meses (holerite – se assalariado, extrato bancário – se aposentado, declaração do contador – se autônomo) que corresponda a 3 vezes o valor da parcela do benefício;

Profissão (se autônomo discriminar a atividade)

Estado Civil (se casado – certidão de casamento, se solteiro – certidão de nascimento);

Certidão negativa do SERASA;

Comprovante de telefone atual.

Cõnjuge do fiador:

RG;

CPF;

Profissão (se autônomo discriminar a atividade).